segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Boa noite meninas!

Andei sumida por uns dias, não tive muito tempo para escrever...
Hoje é meu aniversário, estou fazendo 26 anos (yey parabéns pra mim!!)... infelizmente o meu maior presente ainda não chegou... mas quem sabe no próximo aniversário ele não esteja ao menos no forninho... (peço isso a Deus a todo instante!).
Muitas pessoas me parabenizaram via facebook, whatsapp, sms e pessoalmente. Tenho muitos conhecidos, amigos mesmo, poucos. Minha mãe mandou várias mensagens durante o dia, me levou uma flor no trabalho e de tarde veio tomar um café comigo (amo!). Não sou de muita festa. Gosto de comemorar com pessoas que gosto e que gostam de mim.

Confesso que mesmo sabendo que ninguém além de uma amiga leu meu blog, mesmo assim está sendo legal ter um, parece que somente o fato de escrever aqui já é bom... Minha intenção não é ter um montão de gente me seguindo e tal, mas sim que leiam, algumas talvez se identifiquem com algumas coisas, que saibam o que estou sentindo (se interessa saber), e principalmente que de alguma forma eu possa ajudar alguém, mesmo não sabendo escrever muito bem.



Uma linda semana pra vocês!!

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Minha História de Tentante...

Conheci meu marido em Janeiro de 2007. Passamos por vários obstáculos no começo do namoro. Decidimos morar juntos em 2012 (na verdade eu vim passar férias com ele e nunca mais fui embora hehe). Não somos casados no civil nem no religioso.
Há tempo ele tinha o sonho de ser pai, de ter um filho, mas eu não me sentia pronta. Tinha medo de tomar essa decisão tão importante, e ia adiando.... Até que um dia ele disse pra mim parar de tomar o anti pra gente ter um filho, pois o pai dele estava doente e ele tinha muito medo do pai dele não vir a conhecer o neto. Eu então morrendo de medo parei... Tentamos por mais de um ano engravidar, sem sucesso. Fui então na minha GO que solicitou exames que constataram que tenho SOP (Síndrome dos Ovários Policísticos). Na hora me assustei, mas ela muito querida e paciente me explicou que isso era só um “pequeno empecilho” e na verdade com tratamento eu conseguiria engravidar sem problemas. Ok, partimos então para o tratamento, na verdade o que eu tomei foi um indutor de ovulação. Faria o tratamento por três meses. Para a nossa alegria na segunda tentativa eu consegui engravidar. Antes de eu fazer o teste, meu marido já afirmava que eu estava grávida. Fiz o teste no final de Dezembro de 2013. A emoção que senti não tem como descrever....é inexplicável...ao mesmo tempo que eu ainda sentia uma pontinha de medo, saber que tinha um ser tão pequenino dentro de mim, me enchia de amor...!
Meus sogros e meus pais mal podiam se conter de tão felizes, comprei um par de sapatinhos de lã branquinhos e dei um pé pra cada um com um bilhete: parabéns vovô e vovó... minha mãe tirou até foto pra ter de recordação.
A primeira eco foi mais uma emoção total! Meu marido não pode ir junto comigo e aí minha mãe foi junto. Quando vimos aquele serzinho de 1,5 cm e um coraçãozinho tão pequeno mas que pulava tanto, não conseguimos conter a emoção...foi a melhor sensação da minha vida!!
Eu me sentia a mulher mais feliz do mundo! E ver a alegria do meu marido não tinha preço!!
Eu cuidava tudo que eu fazia pra proteger nosso bebezinho. Até então estava tudo às mil maravilhas.
Até que numa madrugada eu tive um pesadelo terrível, nunca tinha acontecido nada parecido comigo. Sonhei que o médico (onde sempre fiz todas minhas ecos), me dizia que infelizmente o meu bebê estava morto há uma semana. Aquilo foi muito real, muito ruim, eu acordei num desespero e chorando muito, de soluçar. Meu marido me acalmou e me confortou dizendo que tinha sido só um pesadelo e que estava tudo bem. No outro dia fui na minha mãe no meu intervalo de almoço e ela notou que eu não estava bem, aí eu em prantos falei do pesadelo terrível, e ela também conversou comigo e disse que estava tudo bem. Mas isso me impressionou muito, e aquela preocupação não me saía da cabeça, eu só ia sossegar quando fizesse a eco e visse com meus próprios olhos que realmente estava tudo bem.
A GO me solicitou a segunda eco que seria a morfológica eu estava com pouco mais de três meses de gestação. Ela tentou ouvir o coração do bebê na consulta, com um aparelho cujo nome eu não sei qual é. Ela tentou várias vezes mas não conseguia ouvir nada, aquilo foi terrível pois o pesadelo não saía da minha cabeça mas ela me acalmou dizendo que era normal não conseguir ouvir pois eu estava no começo da gestação.
Para meu 'alívio' houve uma desistência e a secretária ligou uns dias depois, disse para dali uma meia hora eu ir fazer a eco. Eu estava no trabalho, foi uma correria, primeiro liguei pro meu marido pra ele ir junto, mas novamente ele não pode e ficou mal por isso. Eu ia ir sozinha, mas algo me dizia pra ligar pra minha mãe ir junto (graças a Deus que ela estava comigo, eu não ia suportar isso tudo sozinha), liguei e ela prontamente foi. Eu estava muito nervosa, com muito medo, entrei na sala e o médico começou o exame e eu tremia. Até que em um certo momento ele soltou aquelas palavras que eu já havia escutado (no pesadelo) ele falar: “Infelizmente a tua gestação foi interrompida, o teu bebê está sem batimentos”...... 
Aquela notícia caiu em cima de mim como uma bomba. Eu não podia acreditar... Jamais vou esquecer isso. Perguntei se ele tinha certeza do que estava falando. Foi a pior dor da minha vida! Saí de lá desnorteada. A GO (que era na mesma clínica) foi avisada da ocorrido e conversou comigo... Ela disse que hoje em dia muitas mulheres abortam na primeira gestação. Mas eu me culpava que decerto eu tinha feito algo errado que tinha ocasionado isso... mas claro que não. Foi um aborto espontâneo. Mas eu não tive sintoma nenhum, somente o pesadelo. Então ela disse pra mim que eu tinha duas opções: esperar vim espontâneo ou fazer a curetagem. Se eu esperasse vim espontâneo iria sentir dor mas seria mais saudável pro meu corpo, o corpo se recuperaria mais rápido, mas se ficasse qualquer 'restinho' eu teria de qualquer forma que fazer a curetagem para limpar tudo por dentro. Na hora eu estava atordoada e achei que então fosse melhor esperar vir...
Eu só pensava em como is contar isso pro meu marido... Nunca o vi tão triste! E isso acabava comigo.....
Esperei por quatro (intermináveis e angustiantes) dias e nada veio...
Não agüentava mais! Resolvi então fazer a curetagem.
Fui bem cedo pro hospital, o processo em si deu tudo certo. Minha GO disse que ainda bem que fiz logo, pois o embrião estava aderindo às paredes do útero e se esperasse mais poderia me causar uma baita infecção. Antes da anestesia tomar conta de mim e me apagar, me despedi do meu anjinho uma última vez... De meio dia meu marido foi me ver mas eu ainda estava meio sonolenta e fora da casinha. Meus pais me levaram e ficaram comigo no hospital o dia todo. De tardezinha ganhei alta e eles me trouxeram pra casa e ficaram comigo.
Na reconsulta com a GO ela me falou que no mês seguinte iria se mudar pra outro estado. Levei um choque pois adorava e confiava muito nela.
Bom, mas aí então eu tinha que esperar seis meses até tentar novamente engravidar. Segui à risca. Quando pude voltar às tentaivas, tive que, então, me consultar com a única GO que tem na minha cidade, a qual não gosto muito. Fiz por mais seis meses o tratamento novamente com o indutor de ovulação e mais um outro remédio acompanhando, tipo pra reforçar e aumentar a chance de dar certo. Fiz eco pra ver se estava ovulando, e estava. Mas nada de eu engravidar.
Então meu marido, por conta própria, foi no médico, e infelizmente foi constatado que ele tem varicocele, o que diminui a quantidade de esperma. Ficamos arrasados!
Ás vezes eu chego a pensar que toda essa luta é um castigo pra mim, pois há tanto tempo meu marido desejava um filho e eu por medo adiava.... fico pensando no e se tivesse feito assim, e se tivesse feito assado... talvez um dia eu entenda o porque disso tudo. Mas como em toda fase ruim sempre podemos tirar algo bom, eu evoluí e aprendi muito.
Então, no momento atual, eu e marido estamos em processo de FIV (Fertilização in Vitro).



quarta-feira, 2 de setembro de 2015

     " Saber esperar dias melhores é carregar no peito uma fé inabalável. É ter forças para levantar depois da queda, sorrir depois do choro e continuar em frente depois da decepção. É acreditar que existe alguém lá em cima preparando maravilhas enquanto a gente prova merecimento diante dos obstáculos.
              Acima de tudo é nunca desanimar!!! "

   Gostaria de agradecer a uma grande amiga pela ajuda e dicas na criação do blog!
    
      Desejo à todas uma...





Olá!

Bom, na verdade esse lance de blog é novo pra mim... Nunca tive um e visitei poucos.... Ainda estou aprendendo a lidar... Mas resolvi criar um para conversar e trocar idéias com mulheres tentantes, assim como eu... 

Mas, além disso pretendo postar neste blog de tudo... mensagens e frases interessantes, dicas diversas, enfim, os mais diversos assuntos...

Espero que gostem...