quarta-feira, 27 de julho de 2016

Avaliação Genética Embrionária



Olá Meninas! Tudo bem?

Conforme falei no post anterior, estou em parceria com a Laís da Rojas Comunicação e hoje lhes trago mais um post informativo e bem interessante relacionado à FIV.

.
.
.


Brasileiras recorrem a exames que podem identificar doenças genéticas em embriões

Os casais que pretendem realizar a fertilização in vitro – uma das técnicas de tratamento da infertilidade mais utilizadas no mundo – podem se beneficiar de um exame que detecta doenças genéticas ou cromossômicas antes mesmo da implantação do embrião no útero da mãe. Os brasileiros têm recorrido a este procedimento para verificar se os embriões possuem alguma alteração e, assim, implantar aqueles livres de problemas, possibilitando o nascimento de bebês saudáveis.

O método chamado de Diagnóstico Pré-Implantacional (PGD) permite reconhecer doenças de origem cromossômica, isto é, as que são determinadas por falta ou excesso de um cromossomo inteiro ou por partes dele como, por exemplo, as síndromes Down, Turner, Patau, Edwards e Klinenfelter, além de anomalias genéticas como Distrofia Muscular, Hemofilia, anemias de origem genética, doenças neurológicas, fibrose cística etc.

O PGD é indicado para as mulheres com idade materna avançada, que tiveram anteriormente repetidas falhas na implantação de embriões, abortos de repetição ou que já possuem outros filhos com síndromes genéticas. “As alterações cromossômicas podem chegar a 60% para mulheres até 35 anos e 80% para mulheres a partir de 40 anos”, explica o Dr. Georges Fassolas, ginecologista especialista em reprodução humana da Clínica Vivitá.

Atualmente existem técnicas que realizam esses diagnósticos, como a hibridização fluorescente in situ (FISH), hibridização genômica comparativa (CGH) ou método chamado de NGS (note generation screening).

As técnicas de FISH devem ser realizadas após biopsia de embriões no terceiro dia de desenvolvimento embrionário e permite analisar a presença de síndromes. O CGH assim como o NGS são realizados após biopsia dos embriões no quinto dia de desenvolvimento dos embriões e tem sido utilizado para analisar os 24 cromossomos em um único procedimento em 24 horas e avalia as anormalidades de número de cromossomos, sendo a mais comum a Síndrome de Down.

Dr. Georges Fassolas esclarece que o exame não aumenta a taxa de gravidez, pois a avaliação não “melhora” o embrião e sim diagnostica quais são normais e anormais. “A decisão de se realizar ou não o PGD para rastreamento de doenças genéticas deve ser avaliada com o médico especialista, considerando a reserva ovariana, a idade materna e alterações genéticas dos pais”, ressalta.

A resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) de 2010, que define as regras da reprodução assistida no Brasil, permite que a seleção de embriões seja usada em casos de prevenção ou tratamento de doenças. Não é permitido, porém, que a seleção busque a escolha do sexo do bebê ou a modificação de outras características, como cor dos olhos ou dos cabelos por exemplo.

Sobre a Vivitá
A Vivitá é uma clínica de reprodução humana, em que oferece um atendimento diferenciado para contribuir em todos os aspectos na construção de uma família feliz. Com uma equipe de ginecologistas e obstetras, possui consultórios nos bairros Jardins e Belém em São Paulo, além de uma unidade em Campinas.

.
.
. 

Beijos e até a próxima! 

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Post Diferente

Olá Meninas, tudo bem??

O post de hoje é um pouco diferente, a Laís da Rojas Comunicação entrou em contato comigo com uma pauta em que o tema fala sobre a epilepsia e uma nova opção de tratamento para quem sofre com esta doença.
Achei bastante interessante e espero que vocês também gostem!



Epilepsia resistente a remédios é desafio
para mães de pequenos portadores

Dispositivo que estimula nervo é eficaz e segura em crianças e pode ser alternativa quando a doença não responde aos medicamentos

Qualquer mãe sabe que não pode deixar a febre da criança subir por risco de convulsões e tem muito medo disso acontecer. Pode-se imaginar então o drama de quem tem filhos que sofrem de epilepsia, distúrbio em que a atividade cerebral sofre panes recorrentes, provocando crises periódicas. Há crises em que a pessoa perde a consciência e cai, apagando por alguns minutos. Mas há também crises mais sutis, que deixam o paciente ausente, fora do ar por alguns momentos, ou com movimentos descontrolados nos membros. Uma crise convulsiva pode impressionar e a falta de informação atrapalha o diagnóstico e consequentemente o tratamento correto.

Algumas doenças, pancadas ou infecções podem provocar crises convulsivas. Mas isso não quer dizer que o indivíduo seja portador de epilepsia. De acordo com a neurologista e epileptologista Dra. Andrea Julião de Oliveira, quem tem epilepsia apresenta uma alteração própria do funcionamento do cérebro que pode ter por diversas causas. “As crises geralmente ocorrem sem aviso prévio e sem tempo para que a pessoa possa se proteger ou ser protegida”, diz a especialista.

O problema de quem convive de perto com a doença é justamente não saber quando a convulsão pode acontecer – e como se comportar diante de alguém em crise. Para as mães de crianças com epilepsia, é especialmente difícil. Além de lidar com a questão do diagnóstico de uma doença para a vida toda, muitas vezes os tratamentos disponíveis não dão conta de controlar as crises adequadamente.

Como não há cura, o tratamento visa a diminuir os episódios. A primeira opção são os medicamentos, mas uma parcela dos pacientes não responde bem a eles ou tem efeitos colaterais inaceitáveis. “Nesses casos, a terapia VNS é uma boa alternativa para ser acrescentada ao tratamento. Trata-se de um dispositivo capaz de estimular o nervo vago, que passa pelo pescoço, enviando sinais ao cérebro para diminuir as crises e melhorar a qualidade de vida. Ele é implantado sob a pele, abaixo da clavícula, num procedimento cirúrgico simples, que traz poucos desconfortos”, explica a médica.

Estudos mostram uma melhora significativa tanto no controle das crises quanto em vários aspectos. Dra. Andrea ainda completa que para os pequenos, isso garante um ganho enorme na qualidade de vida em geral, como melhora da depressão, do humor, além da atenção e capacidade de realizar tarefas na escola. Outros aspectos, como linguagem, memória e aprendizado, também saem ganhando. Para as mães, significa o alívio de encontrar uma opção para viverem melhor.




Deixem nos comentários o que vocês acharam.

Beijos e até a próxima!!



segunda-feira, 4 de julho de 2016

5 Produtos Que Uso e Aprovo

Olá Meninas!

Primeiramente gostaria de agradecer a Andie do blog  Andie20uns
pela indicação do selinho de um dos blogs que ela acompanha e gosta.
Fico muito feliz em saber que vocês gostam de acompanhar meu blog.
Eu teria que fazer um post aqui indicando também os blogs que eu acompanho, mas como não ando acompanhando muito agora, não poderei fazer, mas assim que der farei.
.
.
.
No post de hoje venho apresentar à vocês 5 produtos os quais eu uso e aprovo.

1 - Rímel Maybelline

Eu adoro destacar meus cílios e depois que encontrei estes da Maybelline não troco por nada!
Já experimentei os 3 mas o que mais uso é o da embalagem amarela. E o preço dele é mais acessível.

2 - Creme Nivea


Este creme para o rosto é muito bom, hidrata bem a pele, mas deve-se usar bem pouco pois senão a pele fica muito oleosa. Ele dura bastante tempo.

3 -Creme Para Pentear Seda

Se você tem cabelos crespos assim como eu, este creme da Seda é muito bom. Usei várias marcas mas somente essa que funciona até hoje. As outras pareciam funcionar, mas na segunda aplicação já não faziam o mesmo efeito que na primeira.

4 -Creme Para Mãos


Para nós que somos donas de casa e estamos sempre lavando roupa e lavando louça, as mãos ficam ressecadas, e este creme da Avon hidrata muito bem e seu preço é bem acessível.

5 - Lápis de Olho

Já usei marcas famosas de lápis de olho, como Natura e Boticário, mas sinceramente não gostei. Além de não contornarem bem o olho, quebravam muito.
Este lápis da Vult é muito bom, contorna bem os olhos, não quebra e dura bastante.
.
.
.

Por hoje é isso, espero que tenham gostado das dicas!

Beijos e até a próxima!!