quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Medo

Esse sentimento me acompanha desde que descobri que estava grávida. Eu não pensava muito na perda. Eu achava que isso só acontecia com os outros, comigo não. Pelo que vejo, a maioria das pessoas pensa assim, que determinadas coisas jamais vão acontecer consigo mesmo, só com os outros. Depois do pesadelo que tive, que perdia o bebê (algo que até hoje não sei definir em palavras, se foi algum tipo de premonição, de aviso, não sei explicar) meu medo aumentou e infelizmente o que eu mais temia aconteceu...
Nem tudo o que a gente quer, a gente pode ter. É exatamente assim.
Eu perdi, infelizmente ainda não estou grávida e sei que vai demorar, mas desde então continuo com medo e o dia que eu engravidar ( se Deus quiser vou ter meu(s) bebê(s) ) o medo continuará me acompanhando. É inevitável.

Uma outra questão que também queria comentar e vou aproveitar esse post para falar, é sobre o fato de contar ou não quando fizermos a fiv.
Em primeiro lugar, não contamos a ninguém que precisamos fazer este tipo de tratamento.
Em segundo lugar, quando fizermos a fiv e quando der certo (se Deus quiser vai dar), as pessoas só ficarão sabendo quando verem a minha barriga crescendo. Porque:
-> as pessoas dão ‘pitaco’ demais, se metem muito;
-> tem pessoas que nunca falam com a gente, mas pra vim opinar em tudo, elas aparecem;
-> contam para Deus e o mundo da gravidez, antes mesmo da gente ter a oportunidade de contar;
->e porque muitas pessoas não querem realmente o seu bem;

Infelizmente isso tudo é verdade, passei na pele isso e muuuito mais....
Além da perda, saber que algumas pessoas ficaram felizes por isso acontecer, dói demais, não tenho nem palavras para descrever. Em outro momento, se eu conseguir colocar em palavras mais esse episódio lamentável que aconteceu na minha vida, eu conto para vocês.

Bom meninas, por hoje é só. Depois da ausência de alguns dias, nada mais justo que providenciar dois posts em uma tacada só para vocês rsrs...
Até mais. Beijos.

Voltei...

Olá queridas!

Em primeiro lugar, me desculpem pela ausência... Estou desde o final de semana querendo escrever esse post, mas não consegui sentar e me dedicar para tal coisa. Visitei e deixei comentários nos blogs de algumas, mas bem rapidamente. Mas caso vocês me enviarem e-mail, não se preocupem, responderei o mais breve possível, ok?
Bom, uma das coisas que eu gostaria de contar para vocês foi algo que aconteceu comigo no Sábado. Eu e meu marido saímos Sábado a noite, nada de mais, janta com alguns amigos, tempos atrás nos reuníamos mais em jantas assim.
Esse programa foi algo um pouco atípico, pois somos (eu sempre fui) muito caseiros. Eu não gosto muito de sair, creio que não existe ninguém com maior pavor, digamos assim, de sair de casa. Eu AMO ficar em casa! Colocar uma roupa confortável, ficar comendo rsrs, olhando tv, conectada no blog (estou surpreendendo eu mesma, nunca me imaginei escrevendo tanto assim, e muito menos que outras pessoas iam ler isso e gostar, eu amo a participação de vocês!), enfim gosto de estar no meu cantinho, com meu marido, meus bichinhos, isso me faz muito bem. Ultimamente está sendo um martírio sair para trabalhar... vocês não imaginam, por mim eu não saía mais de casa. Me preocupo com isso, não sei dizer o que sinto, mas dou graças a Deus os dias em que vou trabalhar só de manhã. Conto as horas pra voltar pra casa e ficar quietinha.
Pois bem, o fato que aconteceu foi o seguinte, vou tentar resumir pra não ficar muito extenso: Tinha uma grávida de 8 meses na janta. Creio que não preciso falar mais muita coisa, não é?
Bem a questão é que ela e o pai da criança (que é amigo do meu marido), ora estão juntos, ora não, e brigam bastante. Quando eles chegaram e eu vi ela com aquele barrigão, fiquei empacada. Não podia acreditar que pela primeira vez, depois de muito tempo que saímos para espairecer, me aparece justamente uma grávida! Aff né!
Ela sentou do meu lado ainda... mal conseguia olhar pra ela. Uma das mulheres começou a conversar com ela, e gente, vocês não imaginam, tinha que ver ela reclamando que não aguentava mais, que quando ela comia a bebê (sim é uma menina) começava a pular que nem louca na barriga! E eu vi a barriga pulando.... Ah, daí também a mulher essa que estava conversando com ela, perguntou se ela não ficou com medo que pudesse vir gêmeos (porque ela tem uma irmã gêmea) aí ela disse: ‘credo, deus me livre, já não tenho dinheiro pra uma, imagina ter duas, credo!’
Fora outras tantas reclamações que escutei.... Eu fiquei ali sentada sabe, sem muita reação. Agora fico pensando, meus olhos nem se encheram de lágrimas, eu não tive vontade de chorar, simplesmente fiquei inerte. Não sei se por que já estou tão doída, tão ferida, tão desanimada, que nem pra ter vontade de chorar eu tive forças.
É muito, muito, muito difícil essas situações.
E eu estava só esperando quem ia dar o ar da graça de perguntar algo pra mim, por exemplo: ‘ué e tu não quis mais engravidar?’ ‘ficou com medo de tentar novamente?’ ‘desistiu?’ e etc, etc, etc..... Mas não. Ninguém perguntou ou falou nada. Graças ao meu bom Deus. Acho que ele pensou: ela já sofreu demais por hoje, vamos dar um desconto rs.
Bom, tentei resumir para não ficar um textão também para vocês lerem, ok?

Até mais meninas.
Beijinhos para cada uma de vocês!

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Como está sendo a caminhada de vocês?

Oi Meninas...

A participação de vocês tem sido fundamental pra mim...
Ontem também foi um dia meio ‘sei lá’.
Atendi uma menina de 17 anos (sim, eu digo menina porque ainda é tão novinha) no meu trabalho, ela estava com a filha de 1 ano e 4 meses no colo. A criança começou a resmungar e querer atenção, mas a mãe não dava, mas também não conseguia se concentrar no que tinha vindo fazer. Claro que a criança começou a chorar, e quanto mais a mãe xingava, mais a criança chorava.
Eu pensei em pegar ela no colo e tentar acalmá-la, porque ela chorava com um sentimento, que me deu uma dó, mas juro pra vocês que não consegui. Travei. Fechei os olhos.
Não me perguntem o por que, nem eu sei o motivo exatamente...
Na hora me deu uma certa raiva. Porque ela xingava a criança. Porque ela deve ter engravidado com 15 ou 16 anos. Porque ela parecia não dar o real valor para aquela menininha que ela tinha; Porque eu queria ter uma menininha...... Lá no fundo eu sabia, claro, o que realmente me incomodava (o que me incomoda), era ela ter tido tão facilmente um filho e parecia não dar valor... e eu sem o meu aqui...
De repente a avó chegou, levou a netinha para dar uma volta e quando voltou logo foram embora, a menininha sorriu pra mim com a boca lambuzada de iogurte...
Fiquei parada uns minutos depois que elas saíram, tipo meio hipnotizada.
Um dia, um passo de cada vez então... Lutando sempre pra não desmoronar...

E vocês minhas leitoras, como estão??
Como está sendo a caminhada de vocês??

Precisando conversar, desabafar, sabem que é só entrar em contato comigo.

Beijo grande pra vocês!!

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Carta de um PAI para seu anjinho...

Esta carta foi meu marido que escreveu pro nosso anjinho:


AO MENOS UMA CHANCE...

Ah como eu queria que você soubesse o quanto eu te amo... Cara, se você tivesse idéia de como me fez feliz, nossa... Foi muito bom! Sempre quis, sempre procurei, demorou um pouco, mas ai vem você, meu mundo virou, eu andava triste, voltei a sorrir, e meu sorriso era o mais sincero e feliz que existia no mundo, duvido que exista no mundo pessoa mais feliz que eu naqueles momentos. Tudo estava dando certo, poxa cara vou te falar uma coisa, é segredo, mas em ti sei que posso confiar, então escuta: você veio no momento que eu mais precisava, pois eu achei que ia decepcionar meu Pai, ele anda meio doente, e sinceramente queria mais que tudo na vida te apresentar para ele, pois sei o quanto ele ia ficar feliz por mim, não que meu Pai me cobre sobre isso, mas sei o quanto ele ia adorar, sei que ele ia te amar muito também, pois imagina só, ele até fez planos para você... cara o brilho nos olhos dele ao eu contar sobre você foi uma benção, eu podia sentir a felicidade dele. Minha mãe foi diferente, queria falar pra ela numa surpresa, para alegrar um pouco sua vida, pois ela está deprimida a tempos, e também sofre com doenças, então acabei deixando escapar o momento certo de dizer e ela acabou sabendo através de outras pessoas, mas sem duvida, apesar de estar decepcionada comigo por eu não ter contado pra ela, sei que ela te amou desde o momento em que contaram para ela. Eu talvez tenha sido insuficiente bom, e por isso você partiu. Ou quem sabe simplesmente não era o momento certo para nós, mas eu ainda não aceito isso, já se passaram meses que você partiu, mas o vazio que ficou em mim não foi preenchido, acho que esse vazio em meu coração jamais será preenchido, pois te amar do jeito que eu te amei... cara, sei que não existe nada igual. No momento que percebi que você não viria mais para mim, eu morri, cara, falando bem a verdade, eu desisti de tudo, nada mais tinha graça, só não larguei tudo de mão pois não queria mostrar fraqueza, mas não foi nem uma nem duas vezes que pensei em desistir. O tempo passou, mas sua falta não diminui. Eu tento continuar minha vida, algumas coisas boas aconteceram, mas para mim nem parecem ser tão boas, pois muito do que eu faço ou fiz foi por nós, queria que você se orgulhasse de mim, assim como eu me orgulhei de você. O tempo que estávamos juntos, foram o que? Pouco mais de cem dias, quase quatro meses, mas sem dúvida foram os melhores dias de minha vida. Então, voltando a falar das coisas que aconteceram me fez lembrar, você acredita que o dia em que tiraram de vez você de meu alcance, foi o mesmo dia em que meu Pai vai para o hospital muito mau, correndo sérios riscos de também sumir de minha vida, e olha como o destino foi cruel comigo, tudo isso no dia de meu aniversário, 12 de fevereiro. O que será que eu fiz para tudo isso acontecer comigo? Ouvi muitas vezes que Deus só faz isso para pessoas que realmente possam agüentar, mas então, me desculpem a blasfêmia, mas esse Deus é um grande filho da puta. Culpei-o sim por isso, mas passou a raiva que eu tinha dele, pois notei o quanto sou insignificante, pois se ele não pode cuidar de nós, que era uma coisa boa de verdade, não adiantava nem ficar brabo com ele, e muito menos culpá-lo, pois ele nunca ia dar importância para minha raiva. Mas olha que eu procurei um culpado sim, pois talvez eu fazendo ele saber o que ele me fez passar ele se sentiria culpado e assim sofreria o quanto eu me encontro sofrendo, mas para falar a verdade até isso passou, pois sei que isso não te traria de volta. Mas cara é incrivelmente difícil viver sem você, sabe, às vezes o dia está bom, coisas legais acontecem, mas ai vejo uma cena qualquer que me faz pensar em nós, uma música, um filme, uma foto, ou mesmo pessoas nas ruas, sempre que olho para algo me imagino estando com você, andando de mãos dadas, ou mesmo eu te carregando no colo, porque não né? Mas dai imagino isso e meu coração se espedaça. Mas cara, eu quero que saiba que eu não te culpo por essa minha tristeza, você assim como eu, não temos culpa do que aconteceu, ninguém tem, sei que é difícil de aceitar, eu não aceitei ainda, e não sei se aceitarei algum dia, mas o que eu sinto é sua falta, fui tão feliz com você. Sabe uma coisa, os melhores presentes que eu ganhei na vida, pois bem, quem me deu foi tua Mãe, um deles foi você, o outro foi um presente antecipado de aniversário, um uniforme do Grêmio, mas não pra mim e sim para você, mas cara foi muito bom, eu te imaginava usando aquela roupa, meu time do coração sendo carregado pela pessoa que mais amei na vida... e novamente as lágrimas começam a brotar nos olhos, eu tenho lembranças de algo que nem mesmo chegou a acontecer, mas juro que consigo, ao menos em minha mente, visualizar você ou com a roupa tricolor, ou andando comigo de mãos dadas, ou mesmo de nós olhando tevê debaixo das cobertas, de eu e você rindo por juntos conhecer alguma coisa nova que nos alegrou, mas infelizmente não foi assim que aconteceu meu filho, juro que daria minha vida pra ter ao menos uma chance de te ver, cara eu te amo, não sei se você algum dia saberá desse sentimento que tenho por ti. Mas velho tu foi amado demais, tu mesmo pelo pouco tempo que esteva na barriga de tua Mãe, tu mudou um cara turrão que eu era, cara você fez e sempre vai fazer parte de minha vida, mas me dói não poder ter te visto, muito menos te sentir em meus braços, mas velho te sinto sim em minha vida, tu és a pessoa que eu mais amei, novamente não quero que se culpe pelo que sinto, meus sentimentos são por sua falta, mas sei que não são culpa sua, e sei que de onde estiver você tá olhando por mim, e sei que você sabe que teu Pai e tua Mãe te amam, e agora você é nosso anjinho... o mesmo anjinho que você sempre foi desde o primeiro teste de gravidez, aquele anjinho que fez eu ser uma pessoa diferente, o mesmo anjinho que me mostrou o quanto de amor uma pessoa pode ter em seu coração. Obrigado meu filho, sei que ai do céu tu acompanha os passos que eu e tua Mãe estamos dando, e eu sei que esse amor é reciproco. Te amo pra sempre. Sinta aquele abraço bem apertado que eu sempre sonhei e nunca tive oportunidade de dar. Teu Pai.



AUTO ESTIMA

Olá meninas, como estão?
Li esta mensagem de uma escritora que gosto bastante, ela sabe definir em palavras o que estamos sentindo, e por isso, resolvi compartilhar aqui com vocês:

“ Nos dias de hoje, muitas pessoas já passaram por situações complicadas, tais como depressão, oscilações do humor, crises de ansiedade, pânico ou fobias. Não é fácil e parece que os momentos de tormento nunca irão passar. Há quem diga que é besteira, falta do que fazer, falta de um tanque cheio de roupas para lavar, excesso de mimo e outras besteiras do tipo. Só fala isso quem nunca viveu uma situação parecida. Ou quem nunca conviveu com alguém com transtornos de humor ou ansiedade.
Eu acredito que tudo acontece por alguma razão. E posso afirmar que apesar de já ter passado por momentos intensos, cruéis e bem difíceis, vejo que estou mais forte e sei que sou capaz de enfrentar qualquer coisa. A maior força não está na conversa com o terapeuta, na medicação que é colocada na boca, no abraço de alguém querido: a maior força está aí dentro de você. Às vezes ela se esconde, às vezes nos sentimos perdidos, vazios, sozinhos e fracos demais para procurar qualquer coisa. Mas é preciso revirar todos os espaços internos e achar a bendita força, é ela que vai te colocar no eixo e fazer com que você consiga seguir em frente. ”
Clarissa Corrêa

Tem dias que confesso à vocês que mensagem nenhuma me anima e me ajuda, pois como disse, ultimamente está complicado demais lidar com os sentimentos... quanto mais o tempo passa, mais difícil fica. Minha auto estima está abaixo de zero... não tenho ânimo para nada, não aguento me ver no espelho mas não tenho ânimo nem para comprar uma roupa nova... Faz dias que estou usando o mesmo brinco, hoje que coloquei outro... Maquiagem é apenas lápis no olho, um pozinho na cara, uma pincelada de rímel e olhe lá. Nunca soube me maquiar direito, mas era melhor do que faço hoje.
Fico pensando em como são as coisas... há algum tempo atrás eu jamais imaginava que existiam tentantes; claro, eu sabia que existiam algumas mulheres que tinham dificuldades para engravidar, mas que faziam tratamento e conseguiam ter o seu bebê e ponto. Nossa, eu não sabia da missa a metade rs...
Hoje me vejo nesta situação, sentindo tanto medo, tanta angústia... Ando tão desanimada, tão enjoada de tudo... e peço desculpas à vocês, porque disso vocês já estão cansadas também, não é? Mas aqui é onde posso falar tudo que sinto, sem medo de julgamentos, de dedos apontados, de opiniões e achismos que vem de todos os lados... E agradeço novamente, vocês, por me ouvirem lerem, ultimamente é disso que preciso, que simplesmente me escutem e digam  do fundo do coração, eu te entendo perfeitamente, entendo tudo que você está sentindo. E só.
E assim vou seguindo, tentando me manter em pé. Cada dia é uma vitória.



Beijos pra vocês!

domingo, 18 de outubro de 2015

TPM

Olá Meninas! Como estão?

Quinta-feira eu estava péssima, tanto emocionalmente quanto fisicamente. Por isso não consegui fazer nenhum post, somente respondi alguns comentários e e-mails.
Emoções à flor da pele. Nem sei como definir em palavras, pois nem eu sabia o que estava sentindo ao certo...
Eu já estava a alguns dias com dor nos seios e mudanças de humor, mas não achei que fosse a M chegando, pois como tenho SOP e não estou tomando o anti, ela é beeem desregulada... Mas eis que sexta de manhã ela começou a dar o ar da graça.... E eu continuava com muita dor na cabeça, náuseas, mal conseguia ficar em pé de tanto mal estar...
Já é normal as tentantes sofrerem com as oscilações de humor, e aí com tpm junto já viu a lambança que vira rsrs....
Hoje estou melhor, graças a Deus!
Para mim a vinda da M não é decepção nem nada, somente um incômodo, um desconforto, pois mexe demais com os nervos da gente e tudo mais que vem na bagagem rsrs... porque naturalmente eu não posso engravidar somente com tratamento, como vocês já sabem.

Gostaria de agradecer cada uma de vocês, minhas leitoras, por participar do meu blog... aos poucos ele está crescendo. E dizer também que o apoio de vocês está sendo muito bom.
Continuem me acompanhando e saibam que estou aqui para apoiar e ouvir vocês também!
(detalhesmaissimples@hotmail.com)

Beijinhos!

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Queridas Leitoras:

Nos últimos dias ando com muitos sentimentos embolados... Como mencionei no post que conto Minha História , eu e marido estamos juntando grana para fazer a FIV, vai demorar mais um pouco ainda para iniciarmos e por mais que eu tente, os pensamentos vem à turbilhão na minha cabeça. Tenho tantos medos... medo de demorar muito tempo para conseguir engravidar, medo de não poder engravidar, medo de sofrer um aborto novamente, medo medo medo.....
Pelo que li até agora a respeito, cada caso é diferente, mas, a jornada vai ser longa durante a FIV... Mas eu sei que tudo que eu passar valerá cada segundo à pena quando eu tiver o meu bebezinho (peço a Deus que receba essa benção um dia).Fiquei pensando em que termo melhor me enquadro, se tentante, desejante ou aguardante... Creio que em todas. Sim, afinal, mesmo sabendo que naturalmente não dará certo, continuo tentando; desejo isso mais que tudo na minha vida; e aguardo pacientemente (mesmo às vezes achar que vou enlouquecer).Ahh... Como eu sonho com o dia que terei meu bebezinho nos braços!Me sinto muito mal, mas sou sincera em dizer à vocês minhas queridas leitoras (nunca imaginei que diria isso, nunca imaginei pessoas lendo algo que eu escrevi rsrsr), mas a minha vontade é dizer às pessoas, que cada anúncio de gravidez é desesperador. Como já mencionei em outro post, não porque eu não esteja feliz por elas, mas porque estou triste por mim mesma!Por ainda não ser a minha vez...Sim, é uma bênção que uma amiga esteja grávida, mas pode ser extremamente doloroso discutir os sonhos e as esperanças de uma futura mãe, enquanto você pensa na sua própria gravidez que nunca chega. Enquanto ela conta toda animada, quão é difícil sorrir quando se está desmoronando por dentro.Eu choro histericamente e sofro demais depois de dar os parabéns.Este meu cantinho (e de vocês também é claro) está indo aos poucos, mas o contato e as palavras que tive de vocês até agora tem sido muito bom.Espero que vocês estejam me acompanhando sempre, dando sugestões para posts e etc. Sempre que dá estou por aqui e tentando lhes retornar o mais breve possível... E também tentando lhes ajudar.Obrigada por me escutarem, ou melhor, me lerem rsrss..... 

Grande beijo!!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Conversa entre Deus e uma criança antes de nascer...

Criança :"Dizem-me que estarei sendo enviado à terra amanhã... Como vou viver lá sendo assim pequeno e indefeso?
Deus: Entre muitos anjos, escolhi um especial para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você.
CriançaMas diga-me: aqui no Céu eu não faço nada a não se cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?
Deus: Seu anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz.
Criança: Como poderei entender quando falarem comigo se não conheço a língua que as pessoas falam?
Deus: Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.
Criança: E o que eu farei quando quiser falar com o Senhor?
Deus: Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar.
Criança: Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?
Deus: Seu anjo lhe defenderá, mesmo que isso signifique arriscar a própria vida.
Criança: Mas serei sempre triste, pois não Te verei mais.
Deus: Seu anjo sempre falará sobre Mim, e lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e eu estarei sempre dentro de você.
Nesse momento havia muita paz no Céu, mas as vozes na Terra já podiam ser ouvidas.
A criança assustada pediu suavemente: Oh, Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me por favor o nome do meu anjo.


Deus responde ansiosamente : Você chamará seu anjo de Mãe."

Fonte:
http://brasil.babycenter.com/thread/45097/conversa-entre-deus-e-uma-crian%25C3%25A7a-antes-de-nascer-#ixzz3oO0yZSo1




terça-feira, 6 de outubro de 2015

Boa noite meninas!

À você que visitou meu blog, deixe um comentário ou me envie um e-mail para conversarmos, estou aqui para desabafar mas também ouvir o seu desabafo.
Me escreva para dizer o que achou do blog, para sugestões, idéias, desabafos, etc. Sua participação é muito importante!

Até mais.

Beijo!

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Ser tentante é...

“ Ficar ansiosa a cada ciclo, torcendo para que a menstruação não venha!
Se decepcionar a cada vez que a menstruação aparece!
Renovar as esperanças a cada novo ciclo!
Ser completamente ansiosa, mesmo todo mundo falando que você deve deixar a ansiedade de lado!
Achar que está grávida ao sentir qualquer sintoma!
Virar uma espécie de parabólica de sinais e sintomas de ovulação e gravidez!
Se sentir grávida todos os meses!
Se irritar a cada ‘relaxa que você consegue’, que se escuta!
Ficar feliz quando alguém diz ‘acho que você está grávida’!
Mesmo tendo menstruado, se apegar a um “minha prima menstruou e depois descobriu que estava grávida”!
Se o fluxo veio um pouquinho diferente já achar que é gravidez!
Fazer teste de gravidez antes do atraso!
Fazer e refazer testes de gravidez, achando que o negativo pode virar um positivo!
Pensar em desistir, chorar muito e no outro dia se sentir renovada para recomeçar!
Precisar de colo!
Se tornar uma expert em controle de período fértil, muco, temperatura basal e teste de ovulação!
Ficar de pernas para o alto, até plantando bananeira, após o treino para tentar ajudar os ‘peixinhos’!
Fazer todo o tipo de terapia alternativa, yoga, receita, simpatia e o que mais alguém disser que ajuda a engravidar ou que alguém fez e engravidou.
Sonhar com seu teste de gravidez positivo todos os meses!
Ser uma guerreira, que luta e deseja demais seu bebezinho!
Festejar cada dia de atraso e ficar nervosa a cada ida ao banheiro!
Ir várias vezes ao banheiro a cada sensação, para ver se a ‘bendita’ não veio!
Nunca desistir!
Ficar horas em frente ao espelho imaginando a barriga crescendo!
Fortalecer a fé e crer que vai acontecer!
Uma luta constante, mas sabendo que a vitória virá em breve!
Ser mãe no pensamento e no coração!
Entender como se sentem outras tentantes!
É imaginar como vai ser o bebê, como decorar o quartinho!
É amar um ser que ainda nem foi gerado!
Chorar e rir ao mesmo tempo, quando recebe o tão sonhado positivo!
Curtir a gravidez mais longa do mundo, já que todos os meses que vc foi tentante já contam! :)
Olhar para trás depois de conseguir engravidar e ter certeza absoluta que tudo valeu a pena! ”

Fonte:  mensagem do blog “Da fertilidade à maternidade, por Alê Nunes”.



sábado, 3 de outubro de 2015

Quando?

Quando chegará a minha vez?
E não me venha dizer o que eu já estou cansada de ouvir, que eu preciso relaxar, desencanar que aí vai acontecer; que vai vir na hora certa; que sou muito nova e não devo me preocupar e sofrer tanto assim. (hoje mesmo ouvi tudo isso, sei que foi na melhor das intenções, mas para quem está tão cansada, acaba deixando mais desanimada ainda).  Chega. Eu não aguento mais ouvir isso. Quem não passou nunca por algo parecido não sabe qual é o sentimento.
Não sei dizer exatamente o que eu sinto, é uma mistura de muitos sentimentos... tem dias que é tristeza, desânimo, decepção, raiva, me sinto incapaz e um tanto de outras coisas....
As pessoas não entendem o que sentimos. Não entendem.
Me sinto tão culpada e triste por não conseguir ficar 100% feliz com quem consegue o seu positivo, pois sempre bate aquele sentimento de derrota, de quando será a minha vez... dói... dói demais.
Passam tantos pensamentos pela cabeça que às vezes eu acho que vou enlouquecer.
Ás vezes o mundo cai e chego a pensar que nunca serei mãe... em outros vem uma esperança, uma fé que me deixa mais animada. É uma instabilidade só. Difícil de lidar.
Acho tão injusto quando mulheres  reclamam dos desconfortos da gravidez. Como podem queixar-se dos desconfortos enquanto eu daria tudo para ter os mesmos?
As pessoas pensam que se você perde o seu bebê no começo da gestação dói menos. Oii?! É isso mesmo? Sim elas acham que se sofre menos. E ainda dizem na cara da gente que melhor agora do que mais pra frente com a gravidez mais avançada. Claro, uma coisa é perder no começo, outra é você estar no fim ou até parir, ver o seu rostinho e depois perder, mas a dor de uma mãe perder um filho, seja em que circunstância , é a mesma. Como dói, como aperta.
Desculpem despejar tudo de uma vez, mas criei este espaço justamente para tentar aliviar um pouquinho desta dor.



Até mais. Beijos.